A Rejeição: Hash do QR Code difere do calculado , é uma rejeição que envolve as dados informados nos campos " TokenNFCe " e " IDTokenNFCe ", sendo que o TokenNFCe é o CSC (Código de Segurança do Contribuinte) e o IDTokenNFCe é o identificador desse código de segurança.

A SEFAZ de cada UF dispobiliza um Token (CSC) e o ID referente à esse mesmo Token.
Cada CNPJ deve possuir no mínimo dois Tokens, sendo um para o ambiente de Homologação e um para Produção.

Quando chega essa rejeição no XML de retorno da NFCe, deve-se verificar os seguintes pontos:
- Token para Homologação configurado, enquanto se está enviando para o ambiente de Produção e vice-versa;
- Configurar Token exatamente igual ao disponibilizado no portal da SEFAZ. Incluir traços, quando existir;
- Se o Token foi configurado apenas copiando e colando, tente digitar ele. Se ele foi configurado digitando, tente copiar do portal da SEFAZ e colocar no campo determinado;
- Confirme se os dados do Token e IDToken configurados estão exatamente iguais aos disponibilizados pela SEFAZ, no portal;
- Confirme se o IDToken possui 6 dígitos. Exemplo: No caso de ID 1, o valor configurado deve ser 000001;
- Verifique se os dados não foram configurados nos campos invertidos. Por exemplo, verifique se o Token não está configurado no campo do ID e vice-versa. No caso da configuração invertida, por gentileza, destroque a inversão;
- Em alguns casos, caracteres especiais como o "&" (e comercial), pode apresentar essa rejeição, porém, depende do tratamento que a SEFAZ realiza;
- Se nenhum dos passos anteriores resolveram o problema, tente revogar o Token (CSC) e gerar um novo;


Se todos os processos acima foram realizados e o erro ainda persiste, entre em contato com o escritório de contabilidade do cliente e confirme todos os dados. 
Se mesmo assim o erro persistir, existe a possibilidade de que a SEFAZ esteja retornando a rejeição incorreta. Por exemplo, o XML está com uma falha de esquema, mas a validação da SEFAZ retorna que o Hash do QR Code difere do calculado. Esses casos são raros, mas podem existir. Caso chegue a esse ponto, a melhor medida, é entrar em contato com a própria SEFAZ e verificar qual a ocorrência.

Se tiver dúvidas sobre os processos, podemos lhe auxiliar. Acesse o nosso chat , estamos à disposição.