Desde que foi lançado oficialmente no final de 2013, em um evento realizado em Porto Alegre , o projeto da NFC-e (Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica)  nunca teve tantos documentos fiscais autorizados em produção como neste ano de 2016. Para se ter uma ideia, apenas no mês de março, foram mais de 207 milhões de documentos autorizados, através dos 142 mil emitentes espalhados por todo território nacional.

A adoção do projeto por parte dos estados tem sido bem grande, pois, atualmente apenas o estado de Santa Catarina não demonstrou interesse no projeto. Já nos demais estados, onde existe um plano de adoção voluntária, ou até mesmo o calendário de obrigatoriedade já implantado , o volume de emissão cresce a cada dia.

 

 

Nos três primeiros meses do ano (2016), o volume de notas autorizadas mais que triplicou, se comparado ao mesmo período do ano passado (2015), o que gera uma expectativa de crescimento ainda maior para o decorrer do ano. Além do mais, alguns estados que estavam preparando sua infraestrutura para iniciar o projeto piloto, já publicaram a disponibilidade do ambiente de testes.

Em meio a um cenário político / econômico tão instável, a evolução da NFC-e no país acaba sendo uma ótima notícia para os contribuintes, já que, os benefícios do projeto como: redução de custos redução de burocracia com obrigações acessórias , contribuem para que estas empresas consigam se sustentar no mercado.

A situação atual, só vem a reforçar o que já temos falado a muito tempo. A NFC-e, é um caminho sem volta e está revolucionando o varejo brasileiro. E você, já está preparado?