Conforme anunciado em Abril deste ano, a SEFAZ-SP , que hoje disponibiliza os aplicativos gratuitos de emissão de NFe e CTe para todo o Brasil, deixará de atualizar estas aplicações a partir do dia 1 de Janeiro de 2017 .

Desta forma, assim que houver qualquer mudança na validação destes documentos, os emissores deixarão de funcionar. Além disso, o download não estará mais disponível a partir dessa data .

 

Alerta no topo da página de download dos emissor gratuito da NF-e

 

Estamos a cinco meses do fim dos emissores gratuitos, e vários desenvolvedores que antes integravam seus softwares com essas aplicações já providenciaram alguma outra forma de capacitar seu software a emitir os documentos.

No geral, o processo de emissão se torna bem mais prático e simples para o usuário quando ele é feito dentro de um único software, portanto, mesmo para o contribuinte, a novidade pode gerar economia de tempo e automatização de vários processos.

 

Custo ou oportunidade?

As reações do público afetado pela mudança foram as mais variadas: enquanto alguns contribuintes e desenvolvedores que integram suas soluções ao emissor mostraram-se indignados com a postura da Sefaz-SP, outros comemoraram a oportunidade de ampliar drasticamente as vendas de seus softwares , passando a atingir um novo mercado: os contribuintes que não utilizavam nenhum sistema informatizado (muitas vezes por preferência pelo controle manual), apenas usavam o emissor gratuito de maneira avulsa.

Outra possível subdivisão deste público pode ser feita considerando o  senso de urgência : muitos já estão buscando alternativas, enquanto que os desenvolvedores que já tinham um módulo interno de emissão estão investindo em campanhas para distribuir seus ERPs entre os contribuintes órfãos do emissor. 

Meio cheio ou meio vazio ?

 

Muito mais simples do que parece

Para os desenvolvedores que já geram o arquivo texto com os parâmetros da nota no padrão do emissor, a migração para uma nova solução, como o  Componente NFe e Componente CTe da  TecnoSpeed , é muito menos drástica do que você imagina. Pelo contrário: esse layout gerado é compatível com nossas soluções, sendo necessário apenas tratar os retornos (afinal, você não tinha retornos com o emissor gratuito!).

Utilizando esta nova solução, será possível automatizar vários processos, dentre eles o de impressão da DANFE , envio de e-mail ao destinatário , entre outros. Desta forma, a interação humana no processo de emissão de NF-e é reduzida drasticamente, gerando ganho de tempo, simplificação de processos e, portanto, agregando valor ao seu software. 

 

Se adaptar rapidamente é necessário... e lucrativo!

Aos contribuintes que atualmente utilizam o emissor de forma avulsa, sem integração com um software, ou aos desenvolvedores que integram seu sistema ao emissor, adiar uma providência é perigoso. Confiar na possibilidade de estender o uso do emissor após a virada do ano é extremamente arriscado, pois pode haver uma alteração a qualquer momento .

Já aos desenvolvedores, deixar de aproveitar uma oportunidade desta proporção é um imenso desperdício. Como citado anteriormente, muitos desenvolvedores já adaptaram seus softwares e já estão investindo pesado para garantir sua fatia do mercado de órfãos do emissor e até mesmo obter clientes de outros desenvolvedores menos antenados nas novidades, com a ajuda do contador deste cliente, que deseja evitar o risco de ficar sem emitir.