O sonho de todo gerente de projeto na área de desenvolvimento de software, é trabalhar com um cenário onde as mudanças sejam no mínimo, previstas com alguns meses de atencedência.  Para falar a verdade, já nos conformamos com mudanças, pois é algo inerente a qualquer projeto de software, então a preocupação passa a ser o impacto que esta causará. 

Quando falamos de softwares ERPs, que em geral trabalham com pelo menos um módulo de faturamento, existe o risco de o projeto ser afetado por alguma mudança na legislação vigente. Os documentos eletrônicos, sejam eles de abrangência nacional, estadual ou municipal, tem passado por uma grande transformação nos últimos tempos e em geral, trazem melhorias, seja para o contribuinte, para o fisco ou até mesmo ambos. Mas o fato é que, mesmo sendo melhorias, acabam de uma forma ou de outra, afetando o cronograma de desenvolvimento estabelecido, pois, cabem adequações ao ERP para absorver tais mudanças.

Estar antenado às publicações de Notas Técnicas do governo passa a ser uma obrigação de todo gerente de projeto que está nesse ramo. Isso em casos de projetos como NF-e (Nota Fiscal Eletrônica) , CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) ou NFC-e (Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica) . Mas quando pensamos documento eletrônico em nível municipal, como é o caso da NFS-e (Nota Fiscal de Serviço Eletrônica) , é inviável monitorar todos os canais onde existe publicação de mudanças.  Sendo assim, como planejar e cumprir um roadmap de desenvolvimento que atenda as expectativas da empresa ?

Em conversa com alguns gestores, notei que o método mais utilizado por eles é o de sempre reservar um tempo, com base histórica, para que mudanças em legislação sejam implementadas no software.

Apesar de ser o método mais utilizado, é perceptível que existem alguns problemas:

1) O tempo reservado para as adequações destas mudanças compromentem o desenvolvimento de novos projetos inovadores, com foco no negócio da empresa. Ou seja, em geral, os gestores de projeto sofrem pressão por parte da direção por não serem tão ágeis na implementação de novas funcionalidades, o que pode inclusive comprometer a exploração de novos mercados e consequentemente comprometer o crescimento da empresa.

​2) Como os projetos de documentos eletrônicos tem responsabilidades em esferas diferentes, não existe uma sincronia para publicação e liberação de mudanças. Isso pode comprometer o tempo reservado, todo de uma vez, gerando um desgaste entre setores da empresa, pois afinal de contas o setor de marketing e vendas está aguardando tal recurso para lançá-lo

3) Também existem os casos onde a identificação das mudanças, ocorre em cima da hora. Isso exige um replanejamento do projeto e uma sobrecarga de implementação em tempo recorde. Para muitas empresas, essa implementação de forma tão rápida pode comprometer a qualidade do produto, gerando insatisfação no cliente final.

Enfim, estes são apenas alguns pontos onde as mudanças de legislação acabam afetando o desenvolvimento de software, entretanto, muitas empresas ainda não consideram todos estes aspectos no momento de planejar seus projetos, o que os torna muito mais vulnerávies.