O eSocial , projeto do Governo Federal que pretende unificar e digitalizar as informações relativas aos colaboradores, pode vir a causar prejuízo aos empresários, uma vez que terão gastos adicionais com a implementação do sistema em suas empresas, além dos serviços adicionais jurídicos e contábeis que serão necessários para realizar a implantação e alimentação do eSocial.

eSocial pode causar prejuízo ao empresariado

Segundo a Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a estimativa de cálculos é de que os custos para o comércio com o eSocial podem ser estimados em R$ 5,15 bilhões, sendo cerca de 80% deste valor para despesas com pessoal na atividade comercial e cerca de 20% de despesas com serviços jurídicos, contábeis e de informática.

Este é um valor expressivo, ainda mais se for analisado o cenário em que o eSocial está sendo implantado. Segundo Roberto Dias Duarte, no artigo “O eSocial à espera de um milagre?” , publicado no DCI de São Paulo no último dia 9, a “informatização da burocracia é chique, mas ainda é burocracia”. Para ele, substituir algumas obrigações, como GFIP, Caged, Rais e Dirf não garante uma simplificação do processo.

Objetivos do eSocial

Os principais objetivos do projeto são garantir o cumprimento dos direitos trabalhistas e previdenciários, tornar o processo de cumprimento das obrigações mais simples e aprimorar a qualidade das informações das relações trabalhistas, previdenciárias e fiscais. Além disso, o projeto vem para reduzir as fraudes no seguro desemprego e as sonegações de FGTS.

TecnoSpeed TI

"Mais software, menos esforço."