Conforme dados divulgados pela Secretaria da Fazenda (SEFAZ), ao fim do mês de Março de 2017, a Nota Fiscal do Consumidor (NFC-e) atingiu a marca de mais de 6 bilhões de notas autorizadas, provenientes de um total acumulado de pouco mais de 327 mil emissores.

O projeto NFC-e foi implantado para substituir os documentos fiscais, outrora impressos em papel, utilizados no varejo. Dentre os principais objetivos do projeto estão a redução dos custos das obrigações acessórias do contribuinte, bem como o aprimoramento do controle fiscal junto à Administração Tributária.

Desde a primeira emissão de uma NFC-e no país, em março de 2013, levou-se pouco mais de 2 anos até que, em dezembro de 2015 atingiu-se a marca do primeiro bilhão de notas autorizadas, quantia obtida somando-se as autorizações dos três primeiros meses de 2017. Este fato demonstra a dimensão da adesão do projeto pelo país.

Das 27 unidades federativas brasileiras, apenas Ceará,Minas Gerais, Santa Catarina e Tocantins ainda não participam do projeto. A mais recente adesão se deu pelo estado de Pernambuco que, desde janeiro de 2017, já emitiu mais de 470 mil notas com apenas 37 emissores. A expectativa é que até 2018 todos os estados estejam inseridos no projeto.