Desde o dia 1º de maio de 2018, empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões no ano de 2016 devem enviar os eventos da  EFD-Reinf , com exceção o evento R-2070.

No entanto, entre maio e junho de 2018, a GFIP e a EFD-Reinf coexistirão . Neste período, o contribuinte já pode deixar de utilizar a GFIP, caso esteja preparado prestar estas informações no eSocial e na EFD-Reinf, mas também será possível continuar utilizando a GFIP até o fim de junho.

A GFIP será totalmente substituída pela EFD-Reinf e pelo eSocial a partir de julho 2018, quando a DCTFWeb entrará em produção.

 

O que é a EFD-Reinf?

A EFD-Reinf surgiu junto com o projeto eSocial. O eSocial é um projeto abrangente, mas não contempla obrigações acessórias relativas à contribuições sociais e previdenciárias que não sejam relacionadas à remuneração ou folha de salários.

Essa lacuna deu origem à Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais, a EFD-Reinf, um projeto do SPED complementar ao eSocial, que contempla informações sobre retenções em serviços prestados, tomados, e à receita bruta.

> Saiba mais sobre a EFD-Reinf <