Você, com certeza, já ouviu falar sobre as criptomoedas, como Bitcoin,   Ether e Ripple . Uma pergunta que vem à mente de qualquer pessoa em seu primeiro contato com essa tecnologia é: “ isso é seguro ”? 

Como toda tecnologia, é possível que existam sim falhas de segurança. Historicamente, para hackers habilidosos, encontrar brechas em novas tecnologias, por mais complexas que elas sejam, é questão de tempo.

No caso do sistema de segurança e garantia de autenticidade da Bitcoin, o Blockchain , é a essência da ideia que a torna praticamente invulnerável a fraudes.

Para entender a origem da Blockchain, é importante compreender a Bitcoin, pois foi a estrutura dessa criptomoeda que fez surgir a demanda por uma nova tecnologia de segurança.

 

Bitcoin

É uma criptomoeda , a mais popular entre elas. Como toda criptomoeda, ela é virtual, isto é só existe no mundo virtual.

Usada em transações online, seu diferencial em relação às transferências eletrônicas tradicionais é a independência  de bancos, casas de câmbio, operadoras de cartão, ou qualquer instituição financeira. Todas as transações ocorrem através uma rede descentralizada, o que as tornam mais rápidas e reduz custos.

A Blockchain nasceu juntamente com a Bitcoin,  em 2009, e serviu como o método de garantia da segurança da Bitcoin . Seu idealizador foi Satoshi Nakamoto, que até hoje permanece com a identidade não revelada. 

 

Como a Blockchain funciona?

Trata-se de uma tecnologia que visa  descentralizar a informação de todos os usuários de uma mesma rede, isto é, fazer com que as informações não existam em um único local.

Para isso, distribui-se uma cópia de todas   as informações  sobre todos os usuários e transações da rede para todos os seus usuários . Desta forma, todos os usuários se tornam "testemunhas" da autenticidade de cada transação, pois todos os usuários comparam suas cópias de informações, e uma maioria deve estar igual.

Vamos a um exemplo prático, comparando uma rede centralizada e uma rede com blockchain .

 

Informação Centralizada  

Em um banco, todas as transações são gerenciadas pelo banco de dados dele. Estas informações existem em uma única instância , por maior e mais segura que ela seja. A partir dessa base de dados, o banco determina o saldo dos usuários, autoriza e registra transações, altera o saldo mediante transferências, depósitos ou saques, apresenta extrato, etc. 

Não vamos entrar no mérito da qualidade da segurança destes centros de informação dos bancos. Vulneráveis ou não, o ponto é que toda informação vem de uma entidade, e será sempre aceita como verdadeira por todos os usuários.

Caso ocorra um erro ou uma fraude que aumente, por exemplo, o saldo de um usuário em R$ 100, ele conseguirá sacar esse dinheiro (pois a informação será aceita pelo caixa eletrônico), conseguirá comprar produtos em qualquer lugar que aceite seu cartão (pois a informação é aceita pela máquina de cartão), entre outras possibilidades.

 

 

Informação Descentralizada (Blockchain)

Em uma blockchain: cada usuário conectado na rede tem uma cópia das informações de saldo, transações, depósitos, saques, de todos os usuários . É claro que isso é criptografado e você não conseguirá compreender o código para espiar a conta de outro usuário, mas sendo um membro desta rede, seu computador tem essa informação.

Se R$ 100 foram adicionados, por erro ou fraude no saldo de um usuário que antes tinha apenas R$ 20, assim que ele tentar realizar a movimentação de, por exemplo R$ 50, todos os membros da rede vão comparar as cópias (blocos) da informação que cada um possui. O computador do usuário irá "afirmar" que tem R$ 120. A grande maioria dos outros usuários, que não sofreram erro/fraude, vão "afirmar" que ele tem apenas R$ 20 e, portanto, não pode realizar uma transação de R$ 50. Assim, a transação é recusada e o saldo do usuário será corrigido para R$ 20. Imediatamente, essa nova informação será replicada para todas as instâncias.

Essas validações são algoritmos, que pode ser diferentes conforme a necessidade de cada estrutura.

Para maior segurança em uma blockchain, cada novo dado contém informações do bloco anterior em um hash , criando assim uma “corrente”. Daí, o nome “ Blockchain ”.

Ou seja, um dado em uma blockchain nunca pode ser alterado, considerando que todos as pessoas conectadas na rede tem que validar essa alteração. Por isso, para alterar um bloco, o bloco anterior deve ser alterado também, e assim sucessivamente.

 

Plataformas de Blockchain

  • Ethereum

Ethereum é uma das mais famosas redes para aplicações blockchain. Nessa rede as transações da moeda Ether são registradas. Qualquer tipo de dado pode ser registrado nessa rede, com a certeza de que nunca será alterado.

  • MultiChain

Projeto open-source para ajudar na criação de blockchains privadas. Provém toda a configuração, incluindo CLI's e SKD's.

  • Hyperledger

Projeto dentro da Linux Foundation desenvolvido com o objeto de criar um padrão cross-industry para tecnologias blockchain. Atualmente o projeto Hyperledger disponibiliza ferramentas gratuitas para criação de blockchains.

  • IMB Z Systems

Plataforma da IBM para trabalho com blockchains.

 

Casos

Dubai Colocará 100% do Registro de Terras na Blockchain

O primeiro do setor imobiliário global, o Departamento de Terrenos de Dubai – o braço do governo responsável pelo registro e organização imobiliária no emirado – agora está processando e implementando todas as transações em uma blockchain.

 

Direct.one (Brasil)

Direct.One é uma das empresas que gera e valida, na rede Ethereum Blockchain, apólices, endossos e boletos para as maiores seguradoras do país.

 

 

 

Um novo paradigma

Um dos problemas com a blockchain é em relação à fase de popularização da rede. Isso porque a segurança de uma blockchain é proporcional à quantidade de usuários, sendo “mais fácil” burlar a blockchain de uma rede pequena, bastando que você altere as informações contidas em mais ou menos metade dos computadores. 

Algumas blockchains, como a da própria Bitcoin, são praticamente invulneráveis, pela dificuldade em infectar e alterar informações contidas em uma quantidade imensurável de computadores.

A tecnologia blockchain está em evidência em palestras e eventos de tecnologia no mundo todo e resolve um dos principais problemas relacionados à virtualização da economia e, consequentemente, de toda a revolução tecnológica.