Estando preste a ser prorrogado pela quarta vez o início da obrigatoriedade de adesão de uma das últimas etapas do SPED, isso sem contar que, há seis anos deram pontapé inicial do sistema eSocial, estamos às voltas com todo tipo de problemas inclusive na área que julgávamos ser mais simples do sistema que é a do Empregador Doméstico.

Mesmo assim não podemos esquecer a importância desse sistema para o cenário econômico atual, cuja própria Receita Federal prevê em seus planejamentos um aumento de pelo menos R$ 20 bilhões na arrecadação fiscal por ano, por permitir o cruzamento de dados de milhões de contribuintes e constatação de possíveis falhas e tentativas de fraudes.

Diante desses fatos e a atual conjuntura econômica, podemos fazer uma analogia e perceber  o  grande  contrassenso no cenário tributário atual, principalmente neste período de crise econômica que vivemos com expressiva queda na  arrecadação tributária o que certamente  poderia ser compensado com esse  trunfo que poderia  ser  utilizado pelo fisco  revertendo a queda de caixa com a baixa arrecadação  e assim equilibrar as contas públicas, mas ao contrário dessa lógica o governo prefere priorizar adoções de novas medidas tributárias  com  a criação de  mais impostos, como a provável implantação do CPMF.(...) Continue lendo.