Atualmente, cartão de crédito e débito se tornaram algo quase que indispensável para a grande parte dos consumidores brasileiros. A facilidade de acesso a bancos e cartões, ajudou a popularizar este item que agora faz parte do nosso dia a dia.

Esta facilidade de acesso, cresceu muito em partes, pela grande quantidade de opções existentes atualmente: bancos e bandeiras das mais variadas. Essa grande concorrência entre as bandeiras trouxe benefícios aos consumidores e, consequentemente, aos comerciantes. 

Porém, isso gerou um certo "desconforto" para pequenos comércios e também para desenvolvedores de ERP. Agora o comerciante tem que se preocupar com quais e quantos P.O.S  (Point of Sale – ponto de venda, mais conhecida como maquininha de cartão portátil) ele deve ter, pois em muitos casos, cada máquina funciona apenas com uma rede de adquirência (por exemplo, Rede, Cielo, Stone), ou seja, somente com determinadas bandeiras (Visa, Master, etc...).

P.O.S - Point of Sale – ponto de venda

Existe também o caso de o P.O.S acabar a bateria ou estar sem sinal, ou ainda, a bobina de impressão ter acabado. Ou seja, o comerciante começou a ter outros tipos de preocupações e despesas.

Um exemplo básico: digamos que determinado comerciante quer atender as bandeiras de cartões mais comuns em sua região. Neste caso ele deve ter, por exemplo, 3 P.O.S de adquirentes diferentes para atender essas bandeiras desejadas. Cada P.O.S vai ter um custo X mensal, além dele ter que se preocupar com bobinas, infraestrutura (pontos de rede ou chips de celular) e bateria de cada máquina.

 

Neste cenário, onde o TEF poderia ajudar?

O TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) utiliza o PinPad, também conhecido com "maquininha que não imprime". Sua grande vantagem esta no fato de um único PinPad (pertencente a uma TefHouse) atender a diversas bandeiras, sem a necessidade de ter 2 ou 3 máquinas. Ele também não realiza a impressão, isso fica a cargo do ERP.

 

Além disto, o TEF possui uma segurança muito maior para o dono do estabelecimento, pois ele possui senha para todas as atividades administrativas, faz a conciliação de vendas (sem a necessidade de ficar olhando impressão por impressão). Ou seja, o controle pelo dono do comércio é muito maior e mais seguro.

Já para as desenvolvedoras de software, integrar com um TEF é muito simples, pois sua comunicação é facilitada e assim que for realizado a integração com uma TEF House, você já possui integração com praticamente todas as bandeiras, o que agrega muito mais valor ao software.

O TEF não utiliza conexão de internet ou 4G, ele simplesmente se conecta a seu software e ele ele é responsável por toda a comunicação. Atualmente, o TEF é fortemente utilizado em redes de supermercado e farmácias, por exemplo, porém com a facilitação de sua integração, ele vem ganhando cada vez mais espaço em pequenos e médios comércios.