A implantação do projeto NFC-e (Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final) traz novas perspectivas para inovação no comércio varejista, tendo em vista que o projeto contempla novas tecnologias, permite maior flexibilidade para as empresas, além de reduzir custos com equipamentos obrigatórios, como já dito em posts anteriores.

NFC-e Impactos no ERP

Estas novas oportunidades que se apresentam, certamente exigirão um esforço de adaptação, tanto por parte das empresas emissoras deste novo documento eletrônico, quanto por parte das empresas fornecedoras de soluções (desenvolvedores de software ERP), pois, afinal de contas, “não se faz um omelete sem quebrar alguns ovos”.

Acompanhando algumas implantações, selecionei alguns pontos em que os desenvolvedores de ERP têm se deparado com esforço de adequação. Vale ressaltar que em todas as implantações acompanhadas, os desenvolvedores utilizaram produtos da TecnoSpeed ( Componente NFC-e ou Manager eDoc NFC-e ) e, por este motivo, mitigaram boa parte do impacto no seu ERP, pois não precisaram se incomodar com a implementação de QRCode, GZip, envio síncrono, layouts de impressão, entre outras particularidades do projeto já abordadas em posts anteriores.

Saiba mais: QRCode e Compactação GZip são novidades tecnológicas da NFC-e NFC-e terá transmissão de dados otimizada Qual o modelo de impressão da NFC-e?

Saneamento de cadastros

Estima-se que o XML da NFC-e é cerca de 90% parecido com o XML da NF-e, pois a NFC-e é um documento que deriva da NF-e. Entretanto, se esta comparação for realizada entre NFC-e e ECF, notaremos que as informações contidas em cada um destes documentos tem uma variação muito maior. Desta forma, caso os cadastros necessários para emissão deste novo documento ainda não estiverem adequados, será necessário demandar esforço de revisão dos mesmos. Esta tarefa provavelmente não seja realizada somente pelo desenvolvedor do ERP, e em conjunto com o contribuinte.

Relatórios gerenciais impressos na impressora Fiscal

Alguns ERPs utilizam a impressora Fiscal (ECF) para imprimir relatórios não-fiscais, sendo que esta rotina é implementada através de funções específicas destas impressoras. Desta forma, ao incorporar uma impressora não-fiscal ao processo, esses relatórios gerenciais têm que ser adaptados.

Integração com sistema de cartão de crédito (TEF)

Chamou-me a atenção num destes casos de implantação em que a rotina de integração com uma certificadora de TEF exigia que, ao transmitir a transação do cartão de crédito, deveria ser informado o número do cupom fiscal emitido para a mesma. Na NFC-e, os dados de pagamento com cartão de crédito devem ser transmitidos para a Sefaz, ou seja, o pagamento tem que ser realizado antes da autorização da NFC-e e, desta forma, a transação com o TEF ainda não tem como identificar o número do documento no momento da sua transmissão.

Para adequar esta operação ao formato exigido pela NFC-e, o desenvolvedor do ERP precisou entrar em contato com a empresa certificadora do TEF para utilizar uma outra rotina, a qual não exija o número do documento fiscal na operação TEF.

Convivência com outros documentos

Como a NFC-e ainda está em um processo de substituição dos demais documentos fiscais, como o ECF, os desenvolvedores não podem simplesmente abolir estes demais documentos do seu ERP, sendo necessário, então, implementar uma solução híbrida, que suporte tanto a NFC-e, quanto o ECF, se for o caso.

TecnoSpeed TI

"Mais software, menos esforço."

Download gratuito - clique aqui