Primeiramente eu quero dizer que Trauma, não é só apenas os TEPT  (Transtorno de Estresse Pós Traumático, por exemplo: abuso, morte de ente querido, acidente, assalto e etc), mas também algo que tenha acontecido e que sempre vem na memória quando você está diante de uma situação parecida, por exemplo, medo de agulha, sangue, medo de barata ou qualquer outro bicho, pavor de dirigir, medo de falar em público e etc. Então, quando você fica diante dessas situações ou de algo parecido, a sua mente e o seu corpo se expressam com angustia, nó na garganta, aperto no peito ou no coração, dor de cabeça, diarreias e etc.  Quando um trauma ocorre ele passa a interferir em nossas vidas de forma direta ou indiretamente através de nossos comportamentos e atitudes. O trauma, na maioria das vezes, limita nossa qualidade de relacionamento, por exemplo, você deixa de frequentar algum lugar porque lá você pode ser exposto a situação traumática e isso interfere diretamente ao seu bem-estar e saúde emocional, e ou, você é obrigado a enfrentar uma situação traumática constantemente por conta do seu trabalho então suas emoções, sentimentos e sensações corporais expressão de forma adaptativa, porém você passa por todos sentimentos, emoções e respostas físicas constrangedoras para si mesmo, isso quando são percebidas. Por exemplo, medo e/ou receio de falar em público, porém o cargo que você ocupa exige isso, então toda vez que você fica exposto a essa situação seus sentimentos e emoções agem de forma adaptativa internamente, mas na maioria das vezes se expressam fisicamente com “mãos frias, ansiedade excessiva, insônia, tremedeira, diarreias e etc”, certas atitudes podem lhe deixar paralisado e não conseguir enfrentar tal situação e/ou lhe deixar cada vez mais constrangido por ser percebido externamente por outras pessoas, isso vai reforçando cada vez mais seu trauma, deixando tais emoções e sentimentos mais acentuados.

 

Esse texto que separei mostra o que uma Terapia Psicológica (EMDR) pode ajudar a solucionar este trauma, e como tal problema foi percebido pelo próprio paciente.

http://www.ultimato.com.br/conteudo/quem-mora-dentro-de-voce