A Apple construiu na década de 90 não só uma empresa de tecnologia extremamente inovadora, mas também criou uma estrutura de negócios - que podemos chamar aqui de modelo de negócio - de causar inveja a qualquer gestor. Isso resultou na empresa que mais se manteve no topo das listadas na bolsa de valores americana e que por mais tempo se manteve sustentando inovações e lançando produtos de sucesso.

Naquela época as grandes empresas em geral passaram por enormes transformações organizacionais, seguindo uma tendência de enxugar cadeias de valor inteiras em busca de uma maior produtividade, terceirizando tudo o que fosse possível para focar em seu negócio principal. Houveram aquelas que acertaram e tiveram grandes economias sem prejudicar seus serviços, como também as que terceirizaram demais e perderam muito em qualidade e satisfação dos seus clientes.

Na época que Steve Jobs estava afastado da companhia, final da década de 80 e início dos anos 90, a Apple passou por momentos ruins devido a estratégias de negócio que não deram certo. Um dos motivos porque os executivos tentaram terceirizar aquilo que a Apple tinha como competência essencial do negócio (e que Jobs em particular fazia com excelência): O desenvolvimento e criação de produtos.

Até o início da década de 90 (enquanto a empresa era gerida por Sculley ), a Apple tinha o seu design e desenvolvimento de produtos feitos por agências terceirizadas. Esse processo na época veio perdendo efetividade e reduzindo seus resultados até o MessagePad , produto que foi um dos fracassos da empresa.

As próximas versões do próprio MessagePad já começaram a ser desenvolvidas por uma equipe interna de Design. Na época, alguns executivos da Apple viajaram o mundo buscando trazer para a empresa os melhores designers do mercado. Foram algumas tentativas erradas até encontrarem, por exemplo, Jony Ive , um prodígio inglês que se apaixonou pelos produtos da empresa.

A partir daí, Ive e sua equipe criaram uma nova versão do MessagePad que ganhou vários prêmios mundiais de Design e passaram a receber cada vez mais recursos para investir em si mesma, recebendo destaque na estrutura organizacional da empresa e ampliando a influência nas decisões estratégicas. Isso permitiu posteriormente que fosse formada e liderada por Jony um time responsável por lançar produtos revolucionários como Iphone e Ipad, que foram idealizados por Jobs, mas que sem os designers jamais se tornariam viáveis.

Essa nova perspectiva levou a Apple a tornar o design e desenvolvimento de produtos uma das principais (se não a principal) operações da empresa e considerado como fundamental para seu sucesso. Com esse foco, criou seu modelo de negócios que atualmente conhecemos.

Desta história há três lições que Jobs nos ensina sobre terceirização na cadeia de valor:

 

1. O que lhe diferencia dos concorrentes, faça você mesmo

“Fizemos os botões na tela parecerem tão bons que você vai querer lambê-los”, disse um dia Jobs. Para ele, todos os produtos e serviços se resumiam em experiência do usuário e por isso deveria ser a melhor competência da empresa. Para que se tornasse realidade, era preciso uma equipe de Design com os melhores profissionais (entenda o profissional do design não somente alguém que cria e desenha produtos, mas como alguém que está preocupado com toda a experiência do usuário com o produto, inclusive os serviços complementares) do mundo e que conseguissem traduzir as perspectivas do fundador da Apple em seus produtos.

Isso jamais seria possível se não houvesse uma equipe interna que tivesse a cultura da empresa e fosse considerada estratégica. Para que pudesse alçar voos cada vez maiores, na época, foi preciso trazer os melhores, investir em infraestrutura, dar liberdade para criação e maior presença estratégica (tanto que hoje Ive é Vice Presidente).

 

2. Aquilo que alguém pode fazer melhor e mais barato que você, terceirize

​Algum dia a Apple foi conhecida por ter uma indústria invejável? Deixamos isso para a Toyota, por ora.

Não seria possível ser os melhores em uma competência tão subjetiva como a criação e o design e também algo tão racional quanto produção industrial de equipamentos eletrônicos. Por isso, toda a fabricação dos aparelhos que são desenvolvidos pela Apple são fabricados por empresas terceirizadas como a Foxconn   que já possui uma experiência de anos. Essa sinergia de duas empresas que fazem muito bem aquilo que se comprometem a entregar, possibilita que a empresa de Jobs tenha um altíssimo valor agregado aos clientes e em contrapartida um hardware mais barato de ser produizido. O resultado é uma lucratividade muito maior para a cadeia de valor.

 

3. Invista tempo e dinheiro para ter e formar os melhores naquilo que sua empresa faz

Para construir uma equipe de designers que atendesse as necessidades que as ideias de Jobs e da empresa exigiram na época, os executivos da Apple viajaram o mundo em busca dos melhores profissionais e erraram várias vezes, até encontrar pessoas como Ive. Aquilo que é uma competência chave da empresa - fundamental para entregar seu produto - precisa ser o destaque e para isso é preciso investir, gastar tempo e recursos para formar exímios profissionais.

Não só a capacitação merece atenção, mas também proporcionar estrutura e ferramentas para que grandes resultados possam ser alcançados.

Isso só é possível quando você escolhe bem quais são aquelas atividades que você precisa ser o melhor (falei um pouco sobre isso nesse artigo ) e constrói estratégias de médio e longo prazo para atingí-las. Toda a empresa passa a ser então direcionada para cumprir com esses objetivos que levam a organização em um patamar de excelência que demora muito para os concorrentes chegarem.

 

A terceirização é essencial para o seu negócio crescer. Mesmo Jobs, que fazia de tudo para que a Apple mantivesse o controle total da experiência do usuário com seus produtos, contava com parceiros estratégicos para ampliar os horizontes do seu negócio.

 

 

Renan Freitas

TecnoSpeed - Mais software, menos esforço.