Em plena era digital, as empresas ignorarem que seus funcionários, clientes e fornecedores estão conectados, é se acorrentar ao cais, em lugar de mergulhar no que já deixou de ser tendência e se tornou realidade. Segundo o Ibope Nielsen,  mais de 50 milhões de brasileiros acessaram a internet de casa ou do trabalho este ano, representando um crescimento de 11% em comparação com o mesmo período de 2011. Em análise do primeiro trimestre de 2012, o Brasil atingiu um total de 82,4 milhões de usuários na internet, também segundo o instituto de pesquisas.

Além de 42% da população ter acesso à tecnologia, uma parcela significativa destes já considera hábito ou utiliza o acesso à internet como ferramenta de trabalho, além de ser meio de pesquisa. Notebooks, tablets, smartphones. As pessoas estão conectadas a qualquer momento, em qualquer lugar, basta um dispositivo e uma conexão – que pode ser wireless ou 3G.

Transportando essa realidade ao ambiente de trabalho, pode-se dizer que os colaboradores estão conectados o tempo todo, inclusive durante o horário de expediente. Negar que isso acontece ou ainda bloquear as redes sociais já não são medidas eficazes, já que há a possibilidade de acesso por meio de um smartphone e uma conexão. A melhor forma de otimizar este tempo que o colaborador “gasta” online dentro das empresas é torna-lo uma experiência colaborativa.

Portais corporativos internos (disponibilizados em intranet) ou que tenham conexão externa trazem, além de maior engajamento dos colaboradores, clientes e fornecedores com a empresa, maior sinergia entre aqueles que se conectam para buscar entre si resolução para problemas comuns.

Segundo Luiz Alberto Ferla, pós-graduado em planejamento estratégico, em  artigo publicado no site iMasters , os benefícios de uma rede social corporativa são muitos. “Ela reúne os talentos da empresa e os coloca em constante troca de conhecimento, possibilita a interação entre colaboradores, clientes e fornecedores de diferentes áreas de atuação, incentiva o capital intelectual, favorece a troca de informações com mais rapidez, entre tantos outros. E o que é muito importante: de fácil desenvolvimento, pode ser customizada conforme as necessidades de cada empresa”, argumenta.

Dentro da empresa, entre os colaboradores, ou fora, reunindo conhecimento de fornecedores e clientes também, manter um espaço onde a gestão do conhecimento seja ampla e discutida torna-se diferencial notável para uma empresa. Portanto, investir em redes sociais corporativas pode ser passo determinante para uma empresa se destacar no mercado e, de forma colaborativa, poder mostrar sua base de conhecimentos, valorizando os profissionais que possui e seus conhecimentos adquiridos.

Curiosidade

Existem serviços pagos que oferecem uma rede social corporativa customizável, como  Ning.com (serviço global),  SuaRede (primeiro serviço brasileiro),  Elgg.com (em inglês), Yammer.com (em inglês) e  Lotus Connections (da IBM). Mas, caso a empresa ache mais interessante, pode criar uma plataforma própria.

TecnoSpeed TI

"Mais software, menos esforço."